8 Decisões que os Homens podem tomar para Prevenir o Câncer de Próstata

8 Decisões que os Homens podem tomar para Prevenir o Câncer de Próstata

Não Fume
Segundo estimativas, o tabaco matará mais de um bilhão de pessoas apenas neste século. O fumo pode causar diversos tipos de câncer, entre eles o câncer de pulmão, bexiga, leucemia, entre outros. Se você fuma, é melhor parar! Se precisar de ajuda, existem vários remédios disponíveis para ajudá-lo e tornar essa tarefa menos difícil.
Faça Sexo Seguro
Além de deixá-lo vulnerável a diversos tipos de doenças sexualmente transmissíveis, como a AIDS, o sexo desprotegido também deixa as pessoas vulneráveis ao HPV, vírus que pode dar origem ao câncer de pênis e ao câncer anal.
Cuide da Próstata
Mantenha os exames da próstata sempre em dia. Muitos homens relutam por medo ou preconceito, mas, além de simples, o toque retal, ajuda a diagnosticar o câncer na próstata precocemente.
Exercite-se
A atividade física regular pode ajudar a diminuir o risco do câncer. Mas se você não gosta de ir à academia, não se preocupe, pois existem outros tipos de exercícios físicos que você pode praticar e que não precisam de uma academia.
Mantenha uma Dieta Balanceada
Uma dieta pobre em gordura animal e rica em frutas frescas e vegetais é o ideal para diminuir o risco de ter um câncer. Estudos têm mostrado que dietas ricas em gordura animal têm aumentado o fator de risco para vários tipos de câncer. Frutas, legumes e hortaliças são excelentes antioxidantes contra o câncer.
Use Protetor Solar
Os homens, especialmente àqueles que trabalham expostos ao sol precisam usar protetor solar todos os dias. Mais de um milhão de casos de câncer de pele são diagnosticados a cada ano.
Evite também o bronzeamento artificial, pois tanto o sol quanto o bronzeamento artificial aumentam o risco de câncer de pele.
Realize o Autoexame dos Testículos Mensalmente
Você sabia que o câncer de testículo pode atingir os homens desde a sua adolescência? O autoexame dos testículos pode ajudar a detectar esse tipo de câncer ainda em estágio inicial.
Conheça seu Histórico Familiar
Conhecer o histórico de câncer da sua família é muito importante para ajudar a avaliar suas chances de desenvolver, e já prevenir, certos tipos de câncer. Sabe-se que alguns tipos, como o de mama e o de cólon podem ser hereditários. Se você sabe os tipos de canceres que atingiram a sua família, avise o seu médico, para que ele possa traçar um planejamento para tentar prever os riscos de você desenvolver um câncer e, se possível, prevenir ou fazer o diagnóstico precoce.

Comente!

Orientações Gerais para o Homem Cuidar da Saúde

Orientações Gerais para o Homem Cuidar da Saúde

Câncer de Próstata
O câncer de próstata pode atingir homens de qualquer idade, mas a sua incidência aumenta a partir dos 50 anos. Histórico familiar de pai ou irmão com câncer da próstata antes dos 60 anos de idade pode aumentar o risco de câncer em 3 a 10 vezes em relação à população em geral, herança genética, hábitos alimentares e estilo de vida como fatores de risco importantes em algumas famílias devem ser determinados individualmente.
Exames Preventivos
O diagnóstico do câncer de próstata deve ser feito a partir dos 45 anos, na maioria dos casos, por meio da combinação de dois exames: o exame clínico (toque retal) anualmente e pela dosagem do antígeno prostático específico (PSA, sigla em inglês). Em alguns casos, a ultrassonografia pélvica e a biópsia prostática transretal podem ser indicadas também.
Hábitos alimentares (como dieta rica em gordura animal) podem estar relacionados com maior incidência da doença, por exemplo.
Câncer de Pulmão – Qual é o Risco?
Indivíduos que fumam são os mais afetados por esse tipo de câncer. Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) o câncer de pulmão é o segundo tipo de câncer que mais afeta os homens brasileiros.
A ação mais eficaz contra o câncer de pulmão é parar de fumar.
Você sabia que…
O cigarro contém mais de 4700 substâncias tóxicas das quais cerca de 60 são cancerígenas. Deixar de fumar é uma decisão extremamente difícil, mas muito necessária para a qualidade de vida e bem estar.
Câncer de Intestino ou Colorretal
Ainda hoje não se sabe ao certo quais as principais razões para o câncer de intestino (colo retal). Entretanto, inúmeros estudos vêm demonstrando que os seguintes fatores de risco aumentam as chances de uma pessoa desenvolver este tipo de câncer, são eles:
Idade Avançada– Esse tipo de câncer tem maior possibilidade de ocorrer à medida que as pessoas envelhecem. No entanto, o câncer de intestino pode ocorrer em indivíduos com menos de 50 anos.
Má Alimentação- O câncer colorretal está diretamente relacionado à alimentação. Dietas com alto teor de gordura e com baixa quantidade de fibra podem desempenhar grande papel no desenvolvimento da doença
Pessoas com histórico familiar de câncer colo retal em parentes de primeiro grau (pai, mãe, irmão) com menos de 60 anos ou em 2 parentes (ou mais) de primeiro grau, pólipos adenomatosos no intestino e reto, doenças inflamatórias intestinais (doença de Crohn ou colite ulcerativa) são mais propensas a desenvolver esse tipo de câncer.
O que eu posso fazer para diagnosticar a doença?
Abaixo selecionamos alguns dos principais exames para o diagnóstico da doença:
Sangue Oculto nas Fezes – A partir dos 50 anos de idade, anualmente.
Colonoscopia – Realizar o exame uma vez a partir dos 50 anos e se estiver normal repetir somente após 5 anos, conforme indicação médica, se o resultado for anormal, seguir orientação dada por seu médico.
Câncer de Pele
Câncer de pele é o tipo de câncer que mais afeta homens e mulheres no Brasil. Na maioria das vezes, o câncer de pele (não melanoma) apresenta-se em indivíduos com mais de 40 anos, sendo relativamente raro em crianças e pessoas de raça negra. Indivíduos de pele clara, sensível à ação dos raios solares, ou com doenças cutâneas prévias são as principais vítimas do câncer de pele.
Todas as pessoas podem desenvolver câncer de pele, mas algumas têm este risco aumentado por:
Trabalham ao ar livre.
Têm pele e olhos claros.
Queimam-se facilmente com formação de bolhas.
Tem antecedentes de câncer de pele na família.

Comente!

Nutrição e Redução de Risco de Câncer

Nutrição e Redução de Risco de Câncer

A dieta costuma ser responsável por 30 a 40% de todos os cânceres. Claro que é improvável que a alimentação por si só seja responsável pela causa ou pela cura do câncer, mas uma alimentação saudável, aliada a uma atividade física regular e um peso adequado, podem ajudar a reduzir o risco de desenvolver um câncer.
Os pesquisadores acreditam que os alimentos trabalham em conjunto para proporcionar benefícios à saúde, e que o benefício de qualquer alimento único deve ser avaliado como uma parte da dieta.
Em vez de depender apenas de um determinado alimento em grandes quantidades, faça uma deita equilibrada, com uma variedade de alimentos que inclua:
5 ou mais porções de frutas e vegetais por dia.
Alimentos de outras fontes vegetais, como pães integrais, cereais, nozes, sementes, arroz, massas e feijão.
A maioria dos nutricionistas concorda que uma dieta rica em alimentos de origem vegetal pode ser mais saudável do que uma dieta que contém uma grande quantidade de produtos de origem animal.

Comente!

Cuidando de alguém com câncer de próstata

Cuidando de alguém com câncer de próstata

Se você está cuidando de alguém que foi diagnosticado com câncer de próstata, poderá ter que lidar com alguns sentimentos, como: medo, raiva, depressão e perda. Você pode ter que enfrentar o diagnóstico e se perguntar como cuidará de si mesmo, bem como do seu companheiro durante a doença. Muitos descrevem sentir como se estivessem em uma montanha-russa emocional. Você também pode ter que assumir novos papéis e responsabilidades. Neste artigo, esperamos ajudar você em como oferecer apoio prático e emocional para as próximas semanas, meses ou anos.

A vida pode mudar rapidamente: o câncer de próstata pode afetar seu estilo de vida, relacionamentos, trabalho e finanças.

Algumas Reações Comuns

Cada pessoa é diferente, mas alguns sentimentos são comuns para muitos cuidadores:

Medo

De quão mal se sentirá a pessoa que está cuidando.
Não saber o suficiente sobre o tratamento.
Ser responsável por administrar as medicações e acompanhar outras formas terapêuticas.
Sentir-se como se tudo estivesse fora de controle.
Não saber o que o futuro reserva.
A possibilidade de que a pessoa que está cuidando venha a falecer.

Raiva e Frustração

De ter que assumir o papel de “cuidador”.
De ter novas responsabilidades e demandas extras.
Não contar com o apoio e ajuda de familiares e amigos.
Mudar seus planos para o futuro.
Não ter tempo suficiente para as coisas que você usualmente desfrutava.
Sentir que a pessoa que você está cuidando não gosta de você ou que não valoriza o que faz.
A perda da intimidade.

Solidão

É fácil sentir-se isolado e sozinho quando você cuida de alguém com câncer de próstata. A doença limita a vida social com familiares e amigos e também o tempo que você passa com quem recebe e convive com o diagnóstico.

Estresse

Várias novas demandas em seu papel de cuidador podem ser estressantes. Isto pode resultar em sintomas físicos, como: dificuldade para dormir, dores de cabeça, fadiga e indisposição.

Seu papel na escolha das Opções de Tratamento

Muitas vezes, parceiras(os) e cuidadores de homens com câncer de próstata se sentem excluídas(os) das discussões sobre a pessoa que estão cuidando. É importante que você se sinta envolvido nas decisões, especialmente quando se trata de decisões de tratamento. Isto é particularmente importante quando alguns tratamentos para câncer de próstata podem resultar em incontinência urinária, a curto prazo ou longo prazo, problemas intestinais e problemas sexuais.

Antes de cada consulta, ambos devem pensar e anotar todas as dúvidas para não esquecer de conversar com o médico. Como parceira ou cuidador, certifique-se que seja:
Bem informada(o) sobre o diagnóstico de câncer de próstata.
Familiarizada(o) com as opções de tratamento e efeitos colaterais.
Consciente de quando uma segunda opinião pode – e deve – ser importante.
Ciente de suas próprias limitações.
Isto irá ajudá-la(o) a participar na tomada de decisões e no apoio que precisa para si e aos outros.

Comente!

Câncer de Próstata – Ansiedade e Depressão

Câncer de Próstata – Ansiedade e Depressão

A depressão pode durar muito tempo e afetar significativamente sua vida. Alguns dos sintomas de depressão incluem sensação de vazio, perda de interesse nas coisas, perda de apetite, dificuldade para dormir, sensação de cansaço o tempo todo e sensação de que a vida não é digna de ser vivida.

Geralmente, se uma pessoa apresenta humor deprimido e pelo menos quatro dos sintomas mencionados acima mais de duas vezes na semana, recomenda-se que converse com o médico sobre a possibilidade de realizar um tratamento.

Existem muitas maneiras de lidar com suas reações diante do diagnóstico de câncer de próstata. Converse com seu médico e lembre-se, sua saúde mental é tão importante quanto o seu bem-estar físico e a do seu parceiro.

Comente!

Cuidando de você

Cuidando de você

Cuidar de alguém com câncer implica em novas demandas para você. Por isso, cuidar de sua saúde física e emocional é importante para continuar seu trabalho. Sabemos que nem sempre, na prática, tudo será fácil, mas separamos algumas coisas que podes ser feitas para cuidar melhor de si:
Quando tiver um momento, fique na sua. Procure continuar fazendo as atividades que gosta.
Saiba que você não está sozinha(o). Converse com pessoas que compreendam o que está passando, como amigos, familiares e grupos de apoio.
Mantenha-se saudável. Arranje tempo para praticar exercícios regularmente, alimente-se bem e de forma saudável e procure descansar.
Faça uma pausa. Peça a familiares, amigos ou a um serviço de apoio para ajudá-la(o) e faça pausas regulares.
Pratique relaxamento. Tenha um tempo para si mesma(o) todos os dias para simplesmente sentar, relaxar ou ouvir música.
Entre em contato com um grupo de apoio local de pacientes com câncer de próstata. Você conhecerá outras pessoas na mesma situação, o que ajudará muito neste momento. Leve junto seu parceiro, mesmo que ele não demonstre qualquer interesse. Com o tempo, ele perceberá os benefícios dessa interação e poderá se juntar a você.

Comente!

Outros 4 sintomas de câncer que toda mulher precisa saber

Outros 4 sintomas de câncer que toda mulher precisa saber

Cânceres ginecológicos podem apresentar sintomas logo no início da doença. Embora os sintomas descritos abaixo possam estar presentes em cânceres ginecológicos, a sua presença de maneira alguma é um indicativo absoluto da doença. É muito importante que a mulher esteja sempre atenta ao seu corpo e frente a qualquer sintoma suspeito persistente, procure seu médico.

Perda de Peso
Perder 10 kg ou mais sem estar fazendo uma dieta até pode ser uma surpresa agradável, mas não costuma ser normal. Embora o peso possa flutuar ao longo do mês, mudanças muito pronunciadas precisam ser investigadas.
Anormalidades na Vulva ou Vagina
Anormalidades como feridas, bolhas ou alterações na cor da pele devem sempre ser investigadas. Fique de olho, e se surgir alguma alteração na vulva ou vagina, procure um médico.
Alterações na Mama
Faça o autoexame das mamas mensalmente, e se notar alguma alteração como nódulos, dor, secreção, ondulações, vermelhidão ou inchaço ou inversão do mamilo, procure seu médico o mais rápido possível.
Fadiga
A fadiga é o sintoma mais comum de qualquer tipo de câncer, embora seja muito comum em diversas doenças não cancerosas. Costuma ser mais frequente quando a doença está num estágio mais avançado, mas às vezes pode ocorrer em fases iniciais. Fadiga que impeça realizar as atividades normais do dia a dia precisa ser avaliada por um médico.

Comente!

Outros 4 Mitos e Verdade sobre a Mamografia

Outros 4 Mitos e Verdade sobre a Mamografia

1- Eu não tenho nódulos nas mamas tenho que fazer mamografia.

Nas mamografias podem encontrar-se pequenos nódulos com tamanho de 1 milímetro, até 3 anos antes de você poder senti-los. Os tumores pequenos, em estágio inicial, são tratáveis e o diagnóstico precoce tem chance de até 95% de cura.

2- Eu sou uma pessoa muito ocupada.

Reserve um tempo. Uma mamografia dura entre 15 a 30 minutos, e é parte de seus exames de rotina anuais. Será muito mais demorado se você ficar doente.

3- Meus seios são muito densos.

A mamografia pode não ser tão eficaz na detecção de nódulos ou lesões cancerosas em mamas densas, mas também não é inútil. Se sua mamografia não está clara em função das mamas densas, poderá ser feito um segundo exame de imagem, por exemplo, ultrassom ou ressonância magnética.

4- Eu me alimento bem e me exercito regularmente, logo, não corro riscos.

Dieta equilibrada e prática de exercícios para manter uma vida saudável podem diminuir o risco de um câncer de mama, mas não o elimina completamente, por conta disso é muito importante a realização da mamografia a partir dos 40 anos. Cuide de sua saúde, cuide de suas mamas!

Comente!

6 sintomas de câncer que toda mulher precisa saber

6 sintomas de câncer que toda mulher precisa saber

Cânceres ginecológicos podem apresentar sintomas logo no início da doença. Embora os sintomas descritos abaixo possam estar presentes em cânceres ginecológicos, a sua presença de maneira alguma é um indicativo absoluto da doença. É muito importante que a mulher esteja sempre atenta ao seu corpo e frente a qualquer sintoma suspeito persistente, procure seu médico.

1- Dor Pélvica
Dor pélvica é uma dor ou pressão abaixo do umbigo. Pode ser persistente e não ocorre apenas durante o período pré-menstrual. A dor pélvica pode estar associada a vários tipos de câncer, como o câncer de endométrio, câncer de ovário, câncer de colo do útero, câncer de vagina e câncer das trompas de Falópio.
2- Inchaço Abdominal
O inchaço abdominal e flatulência são sintomas que podem estar presentes em casos de câncer de ovário. Esses sintomas costumam ser os mais ignorados pelas mulheres, apesar de causar bastante incômodo.
3- Dores nas Costas
Um dos sintomas do câncer de ovário pode ser a dor lombar persistente, na parte inferior das costas, e algumas mulheres a descrevem como uma dor intensa, semelhante ao trabalho de parto.
4- Sangramento Vaginal Anormal
O sangramento vaginal anormal é o sintoma mais comum dos cânceres ginecológicos como câncer de colo de útero e câncer de endométrio. Menstruações muito intensas, sangramento entre os períodos menstruais, além de sangramento durante e após a relação sexual são considerados anormais. Esse tipo de sangramento pode estar associado ao câncer de colo do útero, câncer de útero e mais raramente câncer de ovário.
5- Febre
Uma febre persistente, que dura mais de 7 dias, deve ser investigada. Além de ser um sintoma de várias doenças infecciosas, a febre persistente pode ser também um sintoma de câncer, embora relativamente raro.

6- Dores de Estômago ou Alterações Intestinais
Uma mudança significativa e súbita no habito intestinal, como sangue nas fezes, gases, prisão de ventre ou diarreia, pode ser sintoma de câncer de colorretal ou algum outro câncer ginecológico.

Comente!

6 Mitos e Verdades sobre a Mamografia

6 Mitos e Verdades sobre a Mamografia

1- Sou muito jovem para fazer o exame.

O câncer de mama é o tipo mais comum em mulheres a partir dos 55 anos de idade, mas, também pode acometer mulheres jovens. O rastreamento mamográfico consiste em realizar mamografia anual em mulheres com 40 anos ou mais. A partir dos 70 anos, a frequência dependerá do critério médico. Para mulheres com risco aumentado, a mamografia deve ser anual a partir dos 35 anos de idade. No Brasil, mulheres a partir dos 40 anos de idade, têm amparo na Lei 11664/08 para solicitar que seja feita mamografia de rastreamento, apesar da falta de recomendação formal pelo Ministério da Saúde.

2- Câncer de mama não acometeu nenhum membro de minha família, por isso eu não corro risco.

É verdade que se o câncer de mama acomete sua família, você tem maior risco de ter a doença, principalmente se sua mãe ou irmã já tiveram. Mas, a maioria das mulheres que tem câncer de mama (85%) não tem histórico familiar da doença. Portanto, faça o rastreamento mamográfico de qualquer maneira.

3- A radiação é muito arriscada.

A mamografia utiliza raios X para formar a imagem da mama e é utilizada para o rastreamento do câncer de mama. A imagem é obtida com o uso de um feixe de raios X de baixa energia, após a mama ser comprimida entre duas placas. O risco associado à exposição à radiação é mínimo, principalmente quando comparado com o benefício obtido.

4- Eu tenho medo do que pode ser encontrado.

Cerca de 80% dos nódulos encontrados nas mamas tendem a ser benignos. A mamografia também não altera nada, apenas mostra com precisão o que já está lá. Se for encontrada alguma alteração na mamografia é importante fazer o diagnóstico e o tratamento, se necessário, para evitar futuras complicações.

5- É um exame muito caro.

Não. Toda paciente atendida pelo SUS não paga nada para a realização da mamografia. Todos os convênios e seguros de saúde cobrem o custo do exame.

6- A mamografia dói.

A mamografia é um exame muito rápido, pode provocar dor, em algumas mulheres, dependendo da sensibilidade individual, mas é tolerável, e o desconforto provocado pelo exame é breve. O que pode ajudar:

  • Agende seus exames quando suas mamas estiverem menos sensíveis, ou seja, não agende antes da menstruação.
  • Tome um analgésico antes do exame para aliviar a dor.
  • Deixe que a técnica saiba que você pode estar sensível. Ela poderá assim ser capaz de tornar o exame menos doloroso oferecendo uma experiência positiva.

Comente!

Página 4 de 36« Primeira...23456...102030...Última »

Dicas

O exercício físico traz uma sensação de bem estar, além de ajudar o paciente a se sentir bem e manter o peso durante o tratamento. Esclareça com o seu médico se há alguma restrição no seu caso e que tipo de exercício é recomendado para você.
Procure fazer atividades em que você terá convivência com outras pessoas, isso o(a) ajudará a passar pela fase de tratamento com mais facilidade.
Dicas

Na Mídia

Palestra sobre crioterapia capilar para reduzir a queda de cabelo em pacientes submetidos à quimioterapia realizada pela Dra. Cláudia Grandino Latorre na Liga Sorocabana de Combate ao Câncer em 19 de junho de 2018.

Vídeos

Blog