Como lidar com os efeitos colaterais do tratamento?

Como lidar com os efeitos colaterais do tratamento?

Alguns dos efeitos colaterais da quimioterapia e da radioterapia podem influenciar na alimentação dos pacientes, impedindo assim que estes sigam uma dieta balanceada, fundamental na recuperação de qualquer doença. Além da falta de apetite e das náuseas, outros sintomas podem surgir, como boca seca, alteração do paladar e feridas na boca.
A grande maioria dos centros de tratamento de câncer oferece orientação nutricional para ajudar os pacientes a lidar com os efeitos colaterais e manter uma dieta balanceada durante os tratamentos de radioterapia e quimioterapia. Alguns tipos de câncer, como esôfago e intestino, precisam de orientações específicas para a alimentação. Em alguns casos, em que comer é praticamente impossível, podem ser considerados métodos alternativos de alimentação.
A seguir algumas dicas práticas de como lidar com os problemas mais comuns associados ao tratamento do câncer e à alimentação. Mas, não se esqueça de verificar com seu médico se você tem alguma restrição devido à doença.
Falta de Apetite
É comum e compreensível não sentir vontade de comer, mas saiba que uma boa alimentação durante o tratamento é essencial e você só tem a ganhar:
Faça pequenas refeições ao longo do dia.
Siga seu relógio biológico, se sentir mais fome durante a manhã, capriche no café da manhã.
Boca Seca
Este é um dos efeitos colaterais mais comuns, saiba como combatê-lo:
Escove os dentes com uma escova macia pelo menos quatro vezes por dia. Use sempre o fio dental.
Faça bochechos, mas evite produtos com álcool em sua composição.
Mantenha seus lábios sempre hidratados.
Opte por alimentos naturalmente úmidos ou adicione molhos em alimentos mais secos.
Tenha sempre água e balas à disposição. E, quando possível, mastigue pedras de gelo.
Use canudo ao beber líquidos.
Dores na Boca e Garganta
Além da boca seca, dores na garganta e feridas na boca podem dificultar a sua alimentação. Veja alguns conselhos para tentar amenizar esses sintomas:
Novamente, escove os dentes e faça bochechos durante todo o dia.
Ande sempre com uma garrafa de água.
Coma alimentos macios e bem cozidos, pois são mais fáceis de mastigar e engolir. Opte por queijos cremosos, iogurtes, ovos, sopas, purê de legumes, pudim, entre outros.
Evite alimentos secos e duros, como biscoitos, legumes crus e frutas mais duras.
Evite alimentos picantes, salgados ou ácidos, que podem acabar irritando a boca ou garganta.
Alterações no Paladar
Muitos pacientes afirmam que o paladar nunca volta ao normal após o tratamento. Confira algumas dicas que podem ajudá-lo na recuperação do paladar:
Lave a boca com água antes de cada refeição.
Use talheres de plástico, se o talher de aço inoxidável deixar um gosto metálico em sua boca.
Se você não tiver feridas na boca, as frutas cítricas podem ser uma opção bem refrescante. Pastilhas de hortelã e balas de goma também podem ser uma boa opção.
Pode parecer óbvio, mas tente comer seus alimentos favoritos.
Náusea
Evite cozinhar, deixe que outros cozinhem por você. O cheiro dos alimentos durante a preparação podem lhe causar náuseas.
Tente perceber quais alimentos lhe causam mais náuseas e evite seu consumo.
Beba bastante líquido e faça pequenas refeições durante o dia.
Evite deitar logo após as refeições, espere pelo menos uma hora.
Tratamentos do Câncer
Com o diagnóstico confirmado, o seu médico irá discutir com você as melhores opções de tratamento para o seu caso.

Comente!

A Mama

A Mama

A glândula mamária, é um órgão par, que se situa na parede anterior do tórax, na parte superior e está apoiada sobre o músculo peitoral maior; se estende da segunda à sexta costela no plano vertical e do esterno à linha axilar anterior no plano horizontal.

A mama feminina é composta por lobos (glândulas produtoras de leite), por ductos (pequenos tubos que transportam o leite dos lobos ao mamilo) e por estroma (tecido adiposo e tecido conjuntivo que envolve os ductos e lobos, vasos sanguíneos e vasos linfáticos).

A maioria dos cânceres de mama começam nas células que revestem os ductos. Alguns começam nas células que revestem os lobos, enquanto um pequeno número se inicia em outros tecidos.

Comente!

Evitando pensamentos negativos

Evitando pensamentos negativos

Seus pensamentos podem fazer com que a experiência sexual seja boa ou ruim. Fique atenta ao que você pensa e quão atraente e sensual você se sente. Você pode já estar desanimada com pensamentos como: “Como alguém pode querer uma mulher com um seio só?” Todos nós temos algum momento em que estamos pra baixo. Mas, há maneiras de mudar esses pensamentos.
• Anote os 3 pensamentos negativos sobre sexo que você tenha mais frequentemente. Alguns podem estar associados ao seu tratamento contra o câncer, mas outros podem existir há vários anos.
• Agora escreva um pensamento positivo para combater cada pensamento negativo. Por exemplo, se você disse: “ninguém quer uma mulher com uma colostomia”, você poderia dizer: “Eu posso usar uma coberta de ostomia durante o sexo. Se alguém não pode aceitar-me como uma mulher com uma ostomia, então ele não é a pessoa certa para mim”. No seu próximo momento íntimo, use seus pensamentos positivos para substituir os negativos. Use o recurso a seu favor.

Se pensamentos negativos invadem sua mente e você está sobrecarregada e desanimada, talvez seja uma boa ideia conversar com seu médico e pedir a indicação de uma profissional que lide com esse tipo de problemas, por exemplo, um psicoterapeuta. Isto pode ajudá-la a se ajustar às mudanças em seu corpo.

Comente!

Superando a depressão

Superando a depressão

Manter-se ativa é uma boa maneira de reduzir o estresse e o risco de depressão. Converse com seu médico sobre os tipos de exercícios físicos mais adequados para você. Entretanto, não exagere, o exercício ajudará a se sentir saudável e a ter mais energia durante e após o tratamento. Você também pode reduzir a dor e a náusea provocadas por alguns tratamentos ao aprender a relaxar. Muitos métodos de relaxamento podem ser aprendidos a partir de livros, vídeos, CDs ou DVDs, mas um treinamento ministrado por um profissional especializado provavelmente funciona melhor.

Se a depressão dura mais do que duas semanas, converse com seu médico. O que os médicos chamam de depressão clínica tem uma série de sintomas, como:
• Falta de interesse em sexo ou outras coisas que normalmente lhe dão prazer.
• Ser incapaz de sentir prazer.
• Não poder dormir.
• Mudanças em hábitos alimentares (não contam os que são devido ao tratamento de quimioterapia ou câncer).
• Fadiga ou cansaço (não contam o cansaço de seu tratamento de câncer).
• Problemas de concentração.
• Sentir-se inútil e sem esperança.

A depressão pode ser tratada com medicamentos e, algumas vezes, outros métodos podem melhorar seu sono, apetite, energia e capacidade de sentir prazer. Por sua vez, isso pode ajudar na sua autoestima e desejo sexual. Converse com seu médico se você acha que pode estar deprimida.

Esteja ciente de que alguns dos antidepressivos mais recentes, como os inibidores seletivos da recaptação da serotonina, podem dificultar atingir o orgasmo. Se isso é um problema para você, converse com seu médico. Existem outros antidepressivos que podem não ter esse efeito em você.

Comente!

Lidando com o sofrimento e com a perda

Lidando com o sofrimento e com a perda

É comum sentir-se mal com as perdas relacionadas com seu diagnóstico e tratamento do câncer. Você também pode sentir-se triste, com raiva e até mesmo brava e hostil com as pessoas que estão perto de você. O câncer muda como você vê a si próprio e o seu corpo. Isso pode perturbar o seu bem-estar e afetar como você se vê sexualmente. Também pode influenciar em seus relacionamentos.

O luto é uma resposta natural que ajuda a encontrar novas formas de lidar com as mudanças em sua vida e seu corpo. Pode demorar um tempo para que você reconheça algumas dessas perdas e mudanças. Lembre-se que “diferente” não que dizer “ruim”. Mas, significa que você pode ter novos sentimentos e mudanças podem surgir mesmo após você achar que o período de luto terminou. Pode ajudar se você compartilha sua dor com alguém próximo a você. Se não há ninguém perto com quem possa fazer algumas confidências, considere procurar um grupo de apoio, ou se você preferir, um profissional especializado, como um psicoterapeuta. Assim como é importante cuidar da dor em seu corpo, sentimentos dolorosos também precisam ser tratados.

Comente!

Novas Terapias

Novas Terapias

Anticorpos Monoclonais
Os quimioterápicos convencionais agem diretamente no mecanismo de divisão celular, tanto das células tumorais quanto das células saudáveis. Com o avanço da Oncologia, novos medicamentos que agem de forma diferente dos quimioterápicos convencionais estão sendo desenvolvidos.Os anticorpos monoclonais agem destruindo as células tumorais por ação mais específica. Eles se ligam especificamente às células doentes e as destroem, com um grau de toxicidade geralmente muito menor para o paciente e, portanto, com menor incidência de efeitos colaterais.
Atualmente, já dispomos de anticorpos monoclonais úteis para tratamento de carcinomas de cólon, mama, linfomas. Em geral, ele é administrado em combinação com a quimioterapia, embora possa ser aplicado isoladamente em algumas circunstâncias específicas.
Efeitos Colaterais x Anticorpos Monoclonais
Os efeitos colaterais dos anticorpos monoclonais estão associados à infusão e geralmente ocorrem durante a administração da medicação. Falta de ar, sensação de calor, dor, queda da pressão arterial e rubor podem ocorrer, por isso é de extrema importância que tais sintomas sejam imediatamente notificados. Nas administrações subsequentes do tratamento com anticorpos monoclonais a tendência é a diminuição das reações à medicação. A administração concomitante com o regime quimioterápico não causa aumento significativo dos efeitos colaterais da quimioterapia escolhida.
Terapia Biológica
A terapia biológica (imunoterapia, bioterapia ou terapia modificadora da resposta biológica) é um tipo de tratamento que atualmente faz parte do arsenal de terapias contra o câncer. A terapia biológica utiliza o sistema imunológico do corpo, seja direta ou indiretamente para combater o câncer ou para diminuir os efeitos colaterais que alguns outros tipos de tratamento contra a doença possam provocar.

Comente!

Câncer – Como o câncer feminino funciona sexualmente?

Câncer – Como o câncer feminino funciona sexualmente?

Ciclos Naturais do Corpo Feminino

No período fértil da mulher, os ovários se revezam mensalmente para produzir um óvulo maduro. Quando o óvulo é liberado, viaja através das tubas uterinas até o útero. Uma mulher pode engravidar (naturalmente) se o espermatozoide alcançar o óvulo. O colo do útero é a porta de entrada para o esperma.

Um óvulo permanece fértil apenas por 2 dias. Se uma mulher não engravidar nesse período, o revestimento do útero é eliminado como fluxo menstrual. Se a mulher engravidar, o revestimento protegerá o bebê durante a gestação. Estes ciclos regulares do corpo feminino são mensais e controlados pelos hormônios.

Hormônios

Os ovários geralmente param de produzir óvulos e reduzem significativamente seus hormônios por volta dos 50 anos, embora essa idade varie de uma mulher para outra. A última menstruação é denominada menopausa. Algumas mulheres temem que o desejo sexual diminua com a menopausa. Mas, para muitas mulheres, a queda na produção dos hormônios ovarianos não diminui o desejo sexual.

Os hormônios que ajudam a mulher a sentir desejo são denominados estrógenos e andrógenos. Os andrógenos são considerados como hormônios “masculinos”, mas o corpo da mulher também produze pequenas quantidades deles. Cerca de metade dos andrógenos em mulheres são produzidos pelas glândulas suprarrenais. Os ovários produzem o restante dos andrógenos da mulher. Após a menopausa, as glândulas adrenais continuam produzindo hormônios, mesmo depois que os ovários pararem de produzi-lo em quantidade suficiente para manter o desejo sexual.

A maioria das mulheres mantém o desejo sexual mesmo quando seu corpo está em processo de alterações hormonais, como durante o ciclo menstrual, gravidez, menopausa ou com o uso de anticoncepcionais.

Papel do Estrógeno

O estrógeno ajuda a manter a vagina úmida e flexível, o que ajuda quando a mulher está sexualmente excitada. Quando uma mulher não está excitada, sua vagina não é um túnel aberto, como alguns pensam. Em vez disso, ela fica relaxada e com suas paredes juntas. Quando começa a excitação, a vagina fica mais longa e mais larga. As células que revestem a vagina secretam gotículas de líquido (ou lubrificante) que fazem que fique escorregadia. Estas alterações dependem do hormônio estrógeno. Se os níveis de estrógeno de uma mulher são baixos, como após a menopausa, estas mudanças na vagina podem ocorrer mais lentamente.

Sem estrógeno:
• A camada de células que cobre a vagina fica mais fina.
• As paredes vaginais perdem sua elasticidade.
• A vagina pode ficar um pouco apertada e seca, mesmo se você está muito excitada. Isso é chamado de atrofia vaginal.

Orgasmo Feminino

Quando a mulher está excitada sexualmente, seu sistema nervoso envia sinais de prazer para o cérebro. Se ela é estimulada, por exemplo, tocando ou acariciando, os sinais se intensificam e podem desencadear um orgasmo. Durante o orgasmo, os músculos ao redor dos órgãos genitais contraem-se de maneira rítmica. A súbita liberação de tensão muscular envia ondas de prazer através da área genital e, às vezes, por todo o corpo. Depois, a mulher se sente relaxada e satisfeita.

O orgasmo feminino pode mudar de tempos em tempos. Às vezes ela pode não ter nenhum ou pode ter vários durante a relação. Como parte do processo de envelhecimento natural, os orgasmos podem demorar mais para acontecer. E pode também ser necessário mais estímulo para alcançá-los.

Como o Orgasmo acontece

Um orgasmo é um reflexo natural, mas a maioria das mulheres precisa de alguma experiência para aprender a provocá-lo. Muitas vezes é mais difícil atingir o orgasmo durante a relação sexual, do que através do toque da área genital externa, geralmente em cima ou perto do clitóris. Cerca de 1 em 3 mulheres não alcançam o orgasmo sem alguma excitação extra além da penetração. Não está comprovado que orgasmos durante a relação sexual são melhores do que outros orgasmos. Além disso, orgasmos nos quais o casal busca o clímax ao mesmo tempo podem não ser um objetivo realístico.

Existem muitas fontes de excitação que levam ao orgasmo. Elas são diferentes para cada mulher. Algumas mulheres podem atingir o orgasmo apenas por ter uma fantasia vivida sobre sexo ou por ter seus seios acariciados. Outras podem ter um orgasmo durante o sono. Mas, a maioria das mulheres precisa tocar e acariciar seus órgãos genitais para atingir o orgasmo.

As áreas dos órgãos genitais da mulher mais sensíveis ao toque são o clitóris e os lábios menores. A parte externa da área genital (vulva) inclui os lábios maiores, lábios menores, o clitóris e a entrada da vagina. Os lábios maiores são preenchidos com tecido esponjoso. Eles protegem os delicados lábios menores e o clitóris. A abertura da uretra (o canal que transporta a urina da bexiga) está entre os lábios menores e atrás do clitóris. O ânus se encontra atrás da vagina.

Quando uma mulher está sexualmente excitada, toda a área genital aumenta de volume. Observa-se também um rosa mais escuro, que é o sangue que chega à pele.

Muitas mulheres atingem o orgasmo mais facilmente quando o clitóris é acariciado. Como o pênis, o clitóris tem uma cabeça e um corpo. Sua função é enviar mensagens de prazer ao cérebro quando acariciado. A cabeça do clitóris é tão sensível que pode ficar dolorido com o atrito quando é muito enérgico ou rápido. A dor pode ser prevenida usando um lubrificante e acariciando perto, mas não diretamente a cabeça do clitóris.

Outras áreas, incluindo os lábios maiores e ânus, também podem dar prazer a uma mulher ao serem acariciados. As regiões sensíveis podem ser diferentes de uma mulher a outra. A abertura da vagina contém muitas terminações nervosas. Para algumas mulheres, a parede anterior da vagina (ao lado da bexiga) é mais sensível à pressão durante o sexo do que a parte posterior. Alguns terapeutas sexuais sugerem que acariciar uma área aproximadamente de 1 a 7 centímetros na parede anterior da vagina ajuda algumas mulheres atingir o orgasmo.

Comente!

Como se alimentar quando a terapia tira o apetite?

Como se alimentar quando a terapia tira o apetite?

Você pode não sentir fome quando está fazendo a quimioterapia, mas é importante que você continue comendo bem. Alimentos nutritivos mantém suas forças, combatem a fadiga e ajudam seu corpo a se recuperar. A seguir, separamos algumas dicas saudáveis para pensar a respeito, mesmo quando a comida seja a última coisa em sua mente:

Lutando contra as náuseas. É difícil comer quando até mesmo pensar em comida já nos deixa indisposto, não é mesmo? Então, para evitar dor de estômago, coma alimentos secos, como bolachas. Coma logo de manhã e depois em determinados intervalos de tempo. Tome chá de gengibre ao longo do dia. Gengibre, limão e hortelã também são ótimos para ajudar a aliviar o estômago.

Prepare seus pratos favoritos. Seu apetite e os alimentos que você gosta podem mudar de um dia para outro. Tudo bem comer alimentos com alto teor de gordura ou alto teor calórico e que você normalmente tenta ficar longe. Por enquanto, coma o que soa apetitoso e quando parece bom.

Tente pequenas refeições. Muitas pessoas que fazem quimioterapia acham que têm mais apetite quando comem várias vezes ao dia. Tente fazer de 6 a 8 pequenas refeições por dia, ao invés de 3 grandes.

Torne as coisas mais fáceis. Alguns dias você não vai querer ir até a mercearia ou cozinhar, é natural. Por isso, planeje com antecedência e mantenha sua despensa abastecida com alimentos fáceis de preparar. E em dias onde você se  sinta melhor, prepare porções extras e congele-as. Pergunte a amigos e familiares se podem lhe ajudar a comprar o que precisa e a preparar as refeições ou considere comprar comida pronta.

Beba líquidos durante todo o dia. Manter-se hidratado ajuda o corpo a se livrar das toxinas. Tente beber líquidos entre as refeições, em vez de durante. Se você estiver perdendo peso, beba líquidos calóricos, como néctares de frutas, sopas ou cremes.

Fique atento às proteínas. Elas ajudam a reparar os tecidos do corpo e mantém o sistema imunológico saudável. Petisque manteiga de amendoim ou amêndoas com frutas. Adicione nozes picadas saladas ou sorvete. Outras opções fáceis de proteínas: salada de ovo, queijo e bolachas ou uma tigela de cereal com leite.

Adicione calorias aos alimentos saudáveis. O corpo precisa de gordura para manter a energia e mobilizar as vitaminas no sangue. Coloque azeite de oliva ao arroz e massas ou no até mesmo no pão. Sopas podem ser outra boa opção.

Faça das refeições um evento. Você tende a comer mais quando está distraído. Procure comer assistindo TV ou ouvindo música ou convide um amigo para lhe fazer companhia durante as refeições. O apoio de familiares e amigos pode ajudá-lo a se sentir melhor.

Se mexa. Qualquer atividade física, mesmo uma caminhada curta em torno do quarteirão, pode aumentar a fome e apetite.

Uma mente aberta. O tratamento do câncer pode mudar o olfato e o paladar por um tempo, além de proporcionar um gosto amargo ou sabor metálico em alguns alimentos. Se isso acontecer, use talheres de plástico, ao invés dos de aço inoxidável. Escolha frutas e vegetais frescos ou congelados. Tente alimentos que você nunca comeu antes, assim você saberá se o sabor está estranho.

Procure orientação de um especialista. Solicite ao seu médico o encaminhamento a um nutricionista. Ele poderá eventualmente elaborar um programa alimentar, sugerindo suplementos vitamínicos e poderá ajudar a lidar com os efeitos colaterais do tratamento.

Comente!

Câncer e Educação

Câncer e Educação

O paciente com câncer que não pode comparecer às aulas tem algum tipo de tratamento especial?

Sim. A lei garante tratamento excepcional aos alunos de qualquer nível de ensino, portadores de doenças ou limitações físicas incompatíveis com a frequência aos trabalhos escolares, desde que se verifique a conservação das condições intelectuais e emocionais necessárias para o prosseguimento da atividade escolar em novos moldes.

O estudante que estiver nessas condições deverá compensar a ausência às aulas?

Sim. O estudante deverá compensar a ausência às aulas por meio de exercícios domiciliares com acompanhamento da escola, sempre que compatíveis com seu estado de saúde e a possibilidade do estabelecimento de ensino.

Como obter o tratamento especial de frequência escolar?

O paciente deve apresentar à diretoria do estabelecimento de ensino laudo médico elaborado por autoridade oficial do sistema educacional.

O estudante que gozar do tratamento especial fica dispensado das aulas obrigatórias de Educação Física?

Sim. O aluno amparado pelo tratamento especial acima mencionado fica dispensado de prática da Educação Física.

Existe alguma lei que beneficie o estudante em relação ao valor da mensalidade escolar?

Não há nenhuma lei que beneficie o estudante (com câncer) quanto a descontos na mensalidade. Entretanto, algumas instituições de ensino, em razão de políticas de responsabilidade social, podem conceder descontos ao estudante com câncer ou que tiver pai ou mãe com a doença.

De qualquer forma, é interessante, nesses casos, solicitar à diretoria da instituição desconto parcial ou total da mensalidade.

Legislação

Decreto-Lei nº 1.044, de 21/10/1969 – Dispõe sobre tratamento excepcional para os alunos portadores das afecções que indica.

Lei nº 7.692, de 20/12/1988 – Dispõe sobre a Educação Física em todos os graus e ramos de ensino.

Comente!

Página 4 de 34« Primeira...23456...102030...Última »

Dicas

Alguns tumores e algumas cirurgias podem deixar algumas sequelas ou restrições de movimento de algum membro. A fisioterapia nesses casos pode ajudar bastante na recuperação. Converse com o seu médico se no seu caso há indicação de se realizar fisioterapia.
Dicas

Blog