Como monitorar meus efeitos colaterais?

Como monitorar meus efeitos colaterais?

É preciso avaliar os resultados do tratamento, qualificar e quantificar os efeitos colaterais, fazer ajustes, explicar as mudanças, etc. Tudo isso faz com que acabemos concentrando nossa atenção na eficácia do tratamento e relegando para um segundo plano os eventos adversos que não forem graves.
Aspectos da vida social, sexual, e eventos adversos “menos” importantes muitas vezes são totalmente esquecidos durante a consulta. Há pacientes que ficam sem funcionamento intestinal por 5 a 7 dias, ou apresentam fadiga que os impedem de exercer a maioria das suas atividades, mas muitas vezes não sobra tempo para descrever esses efeitos e obter uma solução para eles.
A melhor forma e a mais adequada de lidar com isso é fazer um diário. Anote a data e hora do início do sintoma, a sua intensidade, medicamentos tomados e resultados, qualquer medida a mais que tenha sido tomada e, se for o caso, qual foi o desfecho do ocorrido. Se tiver sido resolvido, anote o dia e hora que o sintoma desapareceu.
Na data da consulta você pode mostrar esse diário para o médico, ou fazer uma cópia das suas anotações para que ele anexe no seu prontuário. Claro que a data da quimioterapia é muito importante. Quanto aos medicamentos e doses utilizadas, seu médico já deve ter registro disso.

Entre em contato


Dicas

Alguns tumores e algumas cirurgias podem deixar algumas sequelas ou restrições de movimento de algum membro. A fisioterapia nesses casos pode ajudar bastante na recuperação. Converse com o seu médico se no seu caso há indicação de se realizar fisioterapia.
Dicas

Na Mídia

Em Sorocaba, um equipamento está mudando a vida de quem enfrenta o duro tratamento contra o câncer, principalmente a das mulheres. É uma touca que fica ligada a uma máquina. Ela resfria o couro cabeludo e impede que os cabelos caiam durante a quimioterapia. Acompanhe na reportagem.

Vídeos

Blog