Risco de Doença Cardíaca na Menopausa

Risco de Doença Cardíaca na Menopausa

O risco de doença cardíaca aumenta após a menopausa, independentemente da idade. O estrogênio protege as mulheres na pré-menopausa de doenças cardíacas. Se você se tece uma menopausa cirúrgica, você perde o efeito protetor do estrogênio natural e pode ser necessária intervenção médica para prevenir problemas de saúde mais tarde. Além da menopausa cirúrgica, os fatores de risco para doenças cardiovasculares incluem:
• Tabagismo;
• Sedentarismo;
• Diabetes;
• Cintura com mais de 105 cm;
• Pressão alta ou colesterol alto;
• Histórico familiar de doença cardíaca e fatores genéticos.
As mulheres que tiveram menopausa cirúrgica devem manter um peso corporal ideal, não fumar e conversar com seu médico sobre como reduzir o risco para doenças cardiovasculares.
O papel da terapia de reposição hormonal na gestão do risco para doença cardíaca após a menopausa cirúrgica é uma área ativa de pesquisas. Mulheres que tiveram menopausa cirúrgica antes dos 45 anos indica que a terapia de reposição com estrogênio pode proteger contra doenças cardíacas associadas à menopausa precoce.
A terapia de reposição hormonal em mulheres no início da menopausa, reduziram o risco de morte e internação hospitalar devido à insuficiência cardíaca ou infarto por um período de 16 anos.

Entre em contato


Dicas

Qualidade de Vida é um conceito amplo que inclui bem-esta físico, emocional, social e espiritual. Muitas vezes os tratamentos oncológicos como quimioterapia, radioterapia, cirurgia e hormonioterapia, entre outros, podem causar alguns efeitos colaterais que podem interferir na qualidade de vida do paciente.
É importante que o paciente procure fazer atividades que lhe tragam prazer e o mantenha ativo. Preste atenção se houver muita tristeza, isolamento, sonolência, esquecimento, choro fácil, pois esses sintomas podem sinalizar um quadro depressivo que é comum em pacientes oncológicos.
Mantenha-se em atividade. Em muitos casos não há restrição ao trabalho. Saia com amigos, conviva com sua família e participe de grupos de discussão. Isso tudo te ajudará durante o tratamento.
Dicas

Na Mídia

Palestra sobre crioterapia capilar para reduzir a queda de cabelo em pacientes submetidos à quimioterapia realizada pela Dra. Cláudia Grandino Latorre na Liga Sorocabana de Combate ao Câncer em 19 de junho de 2018.

Vídeos

Blog