Tenho risco de desenvolver um melanoma?

Tenho risco de desenvolver um melanoma?

Você pode ter um risco aumentado de desenvolver câncer de pele melanoma se tiver pelo menos cinco dos critérios abaixo:

  • Pele, Cabelos e Olhos Claros – A pele clara , cabelo loiro ou ruivo e os olhos azuis fornecem menos proteção contra os raios ultravioleta (UV), no entanto, ter a pele, cabelos e olhos escuros não eliminam o risco.
  • Câmara de Bronzeamento – Antes dos 30 anos, esta prática aumenta em 75% o risco de câncer de pele melanoma.
  • Radiação Ultravioleta – Seja de fontes naturais ou artificiais, limitar à exposição aos raios UV diminui o risco de ter câncer de pele melanoma.
  • Histórico Familiar – Se um ou mais familiares foram diagnosticados com câncer de pele melanoma, isto aumenta o risco para a doença.
  • Queimaduras Solares – Apenas uma queimadura com bolhas em uma idade jovem dobra suas chances de ter câncer de pele melanoma.
  • Pintas – Indivíduos com uma grande quantidade de pintas espalhadas pelo corpo possuem um risco aumentado de câncer de pele melanoma.
  • Diagnóstico Prévio de Melanoma – Um diagnóstico prévio de câncer de pele melanoma aumenta o risco de uma recorrência.
  • Sistema Imunológico – Certos tipos de câncer e doenças que debilitam o sistema imunológico podem aumentar o risco de câncer de pele melanoma.
  • Câncer Prévio – Se você foi diagnosticado com carcinoma basal ou carcinoma de células escamosas no passado, você possui maior risco.
  • Idade – O melanoma é mais comum em homens com mais de 50 anos de idade (mais comum do que câncer de próstata, pulmão e colorretal). O câncer de pele melanoma é o segundo câncer mais comum em adolescentes e é o tipo mais comum de câncer em adultos jovens.

Fonte: Oncoguia

Comente!

Biópsia para Diagnóstico do Câncer de Pele Melanoma

Biópsia para Diagnóstico do Câncer de Pele Melanoma

Biópsia é a remoção de uma pequena quantidade de tecido utilizando técnicas que preservam a lesão inteira de modo que a espessura potencial do câncer e sua margem possam ser examinadas com cuidado, o tecido removido então é enviado para exame anatomopatológico.

Existem diferentes tipos de biópsias que podem ser utilizados para diagnosticar um câncer de pele e a escolha dependerá do tamanho da área afetada e sua localização no corpo.

As biópsias da pele são geralmente feitas com anestésico local, que é injetado na região da lesão, com uma agulha fina. O paciente provavelmente sentirá apenas uma pequena picada e um pouco de ardor quando o medicamento é injetado, mas durante o procedimento não deve sentir nenhuma dor.

Comente!

O câncer da pele pode ser evitado com medidas simples

O câncer da pele pode ser evitado com medidas simples

A Sociedade Brasileira de Dermatologia afirma que a maioria dos casos de câncer da pele podem ser evitados com medidas simples de fotoproteção, adotadas no dia-a-dia. A fotoproteção urbana é, atualmente, um dos grandes desafios da dermatologia. Isto porque o uso de protetor solar é muito associado às atividades externas, principalmente ao lazer em praias e piscinas, no entanto, a exposição solar diária, durante as atividades rotineiras do dia a dia, como na locomoção a pé, no carro ou transporte coletivo, nas atividades de educação física em escolas e, especialmente, dos trabalhadores ao ar livre, é muito mais danosa à saúde da pele do que a exposição intencional. Dados da indústria mostram que apenas 32% dos brasileiros usam protetor solar durante todo o ano.

Estima-se que, a depender da atividade e localidade, cerca de 70% da exposição que sofremos é ocasional. Além da quantidade maior, os danos da exposição ocasional são maiores porque a poluição atmosférica dos centros urbanos potencializa os efeitos danosos da radiação solar.

Comente!

Sobre o Câncer de Pele Melanoma

Sobre o Câncer de Pele Melanoma

O melanoma é um câncer que se origina e desenvolve nos melanócitos. Como a maioria das células do melanoma produz melanina, geralmente os tumores são de cor marrom ou preta. No entanto, alguns melanomas não são pigmentados, podendo ser de cor rosa, bege ou branco. (mais…)

Comente!

Vivendo com Câncer de Pele Melanoma

Vivendo com Câncer de Pele Melanoma

Para alguns pacientes com melanoma, o tratamento pode remover ou destruir o câncer, mas chegar ao fim do tratamento pode ser estressante. Ao mesmo tempo em que o paciente se sente aliviado com o término do tratamento, fica a preocupação de uma recidiva ou metástase. Este é um sentimento muito comum para a maioria dos pacientes que tiveram câncer. (mais…)

Comente!

Sobre o Câncer de Pele Basocelular e Espinocelular

Sobre o Câncer de Pele Basocelular e Espinocelular

Carcinoma Basocelular

As células da região mais profunda da epiderme são redondas e conhecidas como células basais. Cerca de 80% dos cânceres de pele se desenvolvem a partir deste tipo de célula e são denominados carcinomas basocelulares. Na maioria das vezes, o carcinoma basocelular se desenvolve na região da cabeça e pescoço.

Esse tipo de câncer no passado era diagnosticado quase que exclusivamente em pessoas mais velhas, mas atualmente já é feito o diagnóstico em pessoas mais jovens, provavelmente devido à maior exposição ao sol.

O carcinoma basocelular tem um crescimento lento, e raramente se espalha para os gânglios linfáticos ou outras partes do corpo. Entretanto, se não for tratado, pode disseminar-se para outros tecidos e órgãos. (mais…)

Comente!

Câncer de Pele – Dezembro Laranja

Câncer de Pele – Dezembro Laranja

O que é?

A doença é provocada pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele. Estas células se dispõem formando camadas e, de acordo com a camada afetada, definimos os diferentes tipos de câncer. Os mais comuns são os carcinomas basocelulares e os espinocelulares. Mais raro e letal que os carcinomas, o melanoma é o tipo mais agressivo de câncer da pele.

A radiação ultravioleta é a principal responsável pelo desenvolvimento de tumores cutâneos, e a maioria dos casos está associada á exposição excessiva ao sol ou ao uso de câmaras de bronzeamento.

Apesar da incidência elevada, o câncer da pele não-melanoma tem baixa letalidade e pode ser curado com facilidade se detectado precocemente. Por isso, examine regularmente sua pele e procure imediatamente um dermatologista caso perceba pintas ou sinais suspeitos.
Sinais e sintomas:

O câncer da pele pode se assemelhar a pintas, eczemas ou outras lesões benignas. Assim, conhecer bem a pele e saber em quais regiões existem pintas faz toda a diferença na hora de detectar qualquer irregularidade. Somente um exame clínico feito por um médico especializado ou uma biópsia podem diagnosticar o câncer da pele, mas é importante estar sempre atento aos seguintes sintomas:

Uma lesão na pele de aparência elevada e brilhante, translúcida, avermelhada, castanha, rósea ou multicolorida, com crosta central e que sangra facilmente;

Uma pinta preta ou castanha que muda sua cor, textura, torna-se irregular nas bordas e cresce de tamanho;

Uma mancha ou ferida que não cicatriza, que continua a crescer apresentando coceira, crostas, erosões ou sangramento.

Comente!

Tratamento contra impotência pode estar ligado a câncer de pele

Tratamento contra impotência pode estar ligado a câncer de pele

A ingestão de medicamentos para impotência, como o Viagra, pode estar associada a um risco aumentado de desenvolver melanoma, um câncer de pele agressivo, de acordo um estudo publicado que não estabelece, porém, uma relação de causa e efeito.

A enzima denominada PDE5, que é o alvo dessas drogas contra a impotência, também desempenharia um papel no desenvolvimento de melanomas. (mais…)

Comente!

Página 1 de 212

Dicas

Qualidade de Vida é um conceito amplo que inclui bem-esta físico, emocional, social e espiritual. Muitas vezes os tratamentos oncológicos como quimioterapia, radioterapia, cirurgia e hormonioterapia, entre outros, podem causar alguns efeitos colaterais que podem interferir na qualidade de vida do paciente.
É importante que o paciente procure fazer atividades que lhe tragam prazer e o mantenha ativo. Preste atenção se houver muita tristeza, isolamento, sonolência, esquecimento, choro fácil, pois esses sintomas podem sinalizar um quadro depressivo que é comum em pacientes oncológicos.
Mantenha-se em atividade. Em muitos casos não há restrição ao trabalho. Saia com amigos, conviva com sua família e participe de grupos de discussão. Isso tudo te ajudará durante o tratamento.
Dicas

Na Mídia

O mês do Outubro Rosa, a Dra. Cláudia GrandinoLatorre (CRM: 120.061) gravou um vídeo para explicar como prevenir, tratar e curar o câncer de mama e o câncer de colo de útero. Ela falou da esperança encontrada nos tratamentos com tecnologias modernas, como a crioterapia, que evita a queda de cabelo em até 85% durante o tratamento. Siga nossas redes sociais e fique por dentro.

Vídeos

Blog