Tratamentos do Câncer de Tireoide

Tratamentos do Câncer de Tireoide

Após o diagnóstico e estadiamento da doença, o médico discutirá com o paciente as opções de tratamento. Dependendo do estágio da doença e de outros fatores, as principais opções de tratamento para pessoas com câncer de tireoide podem incluir cirurgia, iodoterapia, hormonioterapia, radioterapia, quimioterapia e terapia alvo. (mais…)

Comente!

Setembro: Mês do Câncer de Tireoide

Setembro: Mês do Câncer de Tireoide

O câncer de tireoide é um câncer que começa na glândula tireoide. A maior parte dos tumores são benignos, mas outros são malignos, o que significa que podem se propagar para os tecidos adjacentes e outras partes do corpo.

Os dois tipos mais comuns de câncer de tireoide são o carcinoma papilífero e o carcinoma folicular. O carcinoma de células de Hürthle é um subtipo de carcinoma folicular. Todos estes tipos de tumores são diferenciados.

Outros tipos de câncer de tireoide, como o carcinoma medular da tireoide, carcinoma anaplásico e linfoma da tireoide, ocorrem com menos frequência.

Os carcinomas diferenciados de tireoide se desenvolvem a partir das células foliculares da tireoide. Nestes tipos de câncer, as células se parecem muito com o tecido tireoidiano normal quando vistas sob um microscópio.

Fonte: Oncoguia

Comente!

Câncer de Tireóide – Saiba Mais

Câncer de Tireóide – Saiba Mais

O que é câncer de tireoide?

O câncer de tireoide é um tumor maligno da glândula tireoide que fica localizada no pescoço e que tem como função produzir hormônios. É um tumor mais frequente nas mulheres e tende a ser mais agressivo em pessoas acima de 45 anos. Estes tumores são formados por células que se multiplicam rapidamente e descontroladamente destruindo os órgãos e se espalhando para os linfonodos do pescoço (ínguas) ou para os pulmões. (mais…)

Comente!

Dicas

Qualidade de Vida é um conceito amplo onde inclui bem estar físico, emocional, social e espiritual. Muitas vezes os tratamentos oncológicos como quimioterapia, radioterapia, cirurgia, hormonioterapia, entre outros, podem causar alguns efeitos colaterais que podem interferir na qualidade de vida do paciente.
É importante que o paciente procure fazer atividades que lhe tragam prazer e o mantenham ativos. Preste atenção se houver muita tristeza, isolamento, sonolência, esquecimento, choro fácil, pois esses sintomas podem sinalizar um quadro depressivo que é comum em pacientes oncológicos.
Mantenha-se ativo, muitas vezes não há restrição ao trabalho, saia com amigos, conviva com sua família, participe de grupos de discussão, isso tudo o ajudará durante o tratamento.
Dicas

Blog